Lifelong Learning: saiba mais sobre a aprendizagem continuada

O lifelong learning não é novo: desde 1990, a ideia de educação continuada era tratada como necessidade.

Tempo de leitura: 7 minutos
uma mulher negra, com cabelos cacheados amarrados em um rabo de cavalo alto, vestindo uma camisa com listras brancas e pretas, uma tatuagem no antebraço esquerdo, os cotovelos apoiados em uma mesa, mãos juntas abaixo do queixo, sorrindo enquanto olha para o notebook em sua frente, ao fundo uma imagem desfocada de uma janela branca
uma mulher negra, com cabelos cacheados amarrados em um rabo de cavalo alto, vestindo uma camisa com listras brancas e pretas, uma tatuagem no antebraço esquerdo, os cotovelos apoiados em uma mesa, mãos juntas abaixo do queixo, sorrindo enquanto olha para o notebook em sua frente, ao fundo uma imagem desfocada de uma janela branca

 

Com certeza você já deve ter ouvido por aí o termo lifelong learning, né?

O conceito, muito em alta na atualidade, não é exatamente novo. Já na década de 1990, a ideia de educação continuada era tratada como necessidade para os profissionais que desejavam ascender na carreira, mantendo-se sempre atualizados.

Hoje, cada pessoa tem a chance de gerir o seu próprio desenvolvimento, considerando aonde quer chegar ao unir perspectivas pessoais e profissionais. Porém, independente de qual seja o objetivo do profissional, sem dúvidas, a aprendizagem continuada será sempre o melhor caminho. Continue a leitura e descubra mais sobre o conceito de lifelong learning!

Afinal, o que é o “lifelong learning”?

Antes de mais nada, precisamos compreender o conceito em si: lifelong learning é o termo em inglês para aprendizagem ao longo da vida. Esse conceito compreende a ideia de que nunca é cedo ou tarde demais para aprender algo novo. 

Embora não seja algo exatamente novo, o lifelong learning voltou a ser muito comentado nos dias atuais, devido às mudanças que o mercado de trabalho vem sofrendo. Os novos modelos — como o trabalho híbrido e o home office, além de novas tecnologias surgindo a todo momento, fazem com que a busca dos profissionais por atualização e aperfeiçoamento seja  constante. 

De acordo com Jacques Delours, em um relatório para a UNESCO sobre educação no século XXI, “O conceito de educação ao longo da vida é a chave que abre as portas do século XXI; ele elimina a distinção tradicional entre educação formal inicial e educação permanente.”.

Se antes o aprendizado técnico era a única coisa que importava, hoje as empresas buscam muito mais: elas querem profissionais completos, que dominem, além das hard skills, também as soft skills — habilidades que, geralmente, o ensino formal não contempla.

Ademais, as novas tecnologias, além de gerarem novas demandas de treinamento corporativo, também trazem diversas possibilidades para a educação corporativa, fator que coloca o conceito de aprendizagem contínua ainda mais em evidência. 

No Brasil, a ideia de aprendizagem continuada ainda está engatinhando. Somente nos últimos anos, os profissionais começaram a perceber a insuficiência do ensino tradicional para suprir as necessidades do mercado de trabalho.

Em contrapartida, o cenário em países de primeiro mundo é outro. De acordo com uma pesquisa, realizada pelo Pew Research Center, 73% dos americanos se consideram lifelong learners

Diante disso, fica clara a urgência de fomentar uma cultura Keep Learning nas corporações, de modo a desenvolver cada vez mais lifelong learners e, dessa forma, promover avanços no desenvolvimento do nosso país.

Impacto geracional no conceito de lifelong learning 

Os millennials estão dominando o mercado de trabalho. É um grupo significativo da população, que se desenvolveu junto à tecnologia. Os trabalhadores millennials têm idades entre 19 e 39 anos, e presenciaram a maior das revoluções da história: a massificação do uso da internet.

Dessa forma, é uma geração que compreende que os avanços proporcionados pela popularização da internet permitem uma maior interação, participação e acesso ao conhecimento.

Os millennials romperam paradigmas, renovando as relações de trabalho, educação, consumo e comportamento.

Essas pessoas cresceram com os recursos tecnológicos à disposição. Foram iniciadas no desktop, migraram para o mobile e estão sempre conectadas. Portanto, estão acostumadas com um grande fluxo de informações. 

Isso faz com que consigam consumir tais informações com facilidade e rapidez e, também, que gostem de aprender de maneira mais livre e informal. 

Mulheres negras sorriem enquanto navegam pelo celular. A esquerda mulher negra de cabelos crespos curtos e escuros, usando blusa laranja e ao seu lado mulher negra, cabelos compridos e trançados em tons de rosa, usa camiseta azul e segura o celular em suas mãos.

Com isso, a ideia de aprender somente até certo ponto da vida, para depois se dedicar a uma carreira, ficou obsoleta. Deu lugar ao lifelong learning, conceito que no Brasil tem o nome de educação continuada ou aprendizagem ao longo da vida.

Em razão do crescimento do número de pessoas da “Geração Y” no mercado de trabalho, a educação continuada é um tema cada vez mais em foco, embora não seja novo.

A diferença é que, antes, o conceito era atrelado à aprendizagem formal, dependendo de uma figura que ensinasse algo. Hoje, a aprendizagem continuada está centralizada em quem aprende — uma necessidade dos millennials

O espanhol Juan Ignacio Pozo, especialista em Psicologia da Aprendizagem, costuma observar em sua produção científica que “nunca houve tantas pessoas aprendendo tantas coisas ao mesmo tempo como em nossa sociedade atual”. Essa aprendizagem se tornou não apenas uma exigência social crescente, mas também uma “via indispensável para o desenvolvimento pessoal, cultural e mesmo econômico dos cidadãos”. 

Nesse cenário, cada pessoa tem a chance de assumir a responsabilidade pelo próprio desenvolvimento, ajustando-o de acordo com suas possibilidades e objetivos. 

A importância do lifelong learning no mundo corporativo

É impossível pensar em empresas bem-sucedidas sem pensar em pessoas bem-sucedidas, não é mesmo? Afinal, não existe tática que se sustente “em pé” sem um ser humano capaz de segurá-la. 

Para que haja o sucesso, ter pessoas bem preparadas por trás de grandes ideias é fundamental.

No mundo corporativo, o lifelong learning deve estar alinhado às demandas do dia a dia, de modo que o profissional compreenda e priorize a aprendizagem contínua e, com isso, torne-se protagonista do seu próprio desenvolvimento. 

Porém, os benefícios não se limitam somente aos profissionais, as empresas também saem ganhando. Afinal, um profissional lifelong learner estará muito mais preparado para encarar os desafios do mercado, pois está em um constante processo de aprendizagem, de olho nas inovações e estimulando sua criatividade o tempo todo.

Algumas outras vantagens em estimular a cultura de lifelong learning em sua empresa são:

  • Aumento da produtividade; 
  • Melhora no engajamento e na retenção de talentos; 
  • Estímulo ao compartilhamento de conhecimentos;
  • Aumento do capital intelectual da empresa.

blog-dot-digital-group-ebook-lifelong-learning

Os 4 pilares da aprendizagem ao longo da vida

Já dizia Peter Drucker, pai da administração e gestão moderna, “a tarefa mais urgente é ensinar as pessoas a aprender”. Essa citação vai de encontro ao conceito de lifelong learning, já que ele se sustenta em quatro pilares principais:

1 – Aprender a conhecer; 

2 – Aprender a fazer; 

3 – Aprender a conviver; 

4 – Aprender a ser.

Em suma, o principal objetivo de uma cultura de lifelong learning é estimular a autonomia e o protagonismo das pessoas. Em uma sociedade que está em constante transformação, é essencial que os profissionais sejam capazes de dominar esses 4 pilares.

Características de um lifelong learner 

Lifelong learners são pessoas automotivadas, que buscam aprendizado nas mais diversas experiências e estão em constante evolução. Para fomentar essa cultura em suas vidas, os lifelong learners contam com algumas práticas essenciais. Confira:

  • Ler regularmente: a leitura é uma ótima maneira de abrir novos  horizontes, treinar seu cérebro e acessar novos pontos de vista.
  • Frequentar vários cursos, dos mais diversos temas: essas são excelentes oportunidades para se conectar com pessoas inteligentes, com diferentes bagagens de vida e, dessa maneira, aprender com elas.
  • Sempre buscar oportunidades de crescimento: em vez de desperdiçar o tempo livre deitado no sofá  assistindo à TV, um lifelong learner prefere investi-lo em algo criativo e prático, que possa agregar à sua vida.
  • Registrar o progresso: o eterno aprendiz adora experimentar a sensação de constante crescimento e melhoria. Qualquer marco serve como força motriz para mais avanços. Por isso, é importante registrar cada conquista, de forma bem visual.
  • Abraçar a mudança: um lifelong learner entende que o caminho para o sucesso pode levar a dificuldades e inúmeros obstáculos, mas que abraçar o desconforto, muitas vezes, é necessário. Uma mudança completa pode levar a resultados incríveis. Para aprender, é preciso deixar de lado a zona de conforto, sem medo de errar. 
  • Acreditar que nunca é tarde demais para começar algo: algumas pessoas tendem a pensar que, depois de certa idade, elas já não serão capazes de iniciar algo e se tornar bem-sucedidas. Na verdade, isso é apenas uma desculpa para não sair da zona de conforto. Lembre-se: abrace a mudança!
  • Nunca se acomodar: um lifelong learner nunca experimenta a sensação de achar que sabe tudo. Sem dúvidas, ele aprecia o que já sabe, mas isso nunca é motivo para parar.

Como a tecnologia torna a aprendizagem contínua mais acessível

Os avanços tecnológicos são fundamentais para tornar o lifelong learning algo mais acessível. Com o uso de soluções tecnológicas e metodologias simples, permite ao aprendiz escolher o que ele quer aprender, quando e como. 

Graças à popularização dos dispositivos mobile, por exemplo, o ensino, antes restrito ao ambiente formal da sala de aula, ganha novas possibilidades e espaços na era da transformação  digital. 

A interação propiciada pela internet permite uma modalidade de ensino à distância mais dinâmica, que investe em novas formas de aquisição de conhecimento.

Com o uso da tecnologia no processo de aprendizagem, rompe-se a relação professor-aluno como única e se estabelece a troca de experiências e o aprendizado colaborativo como parte do processo, princípios fundamentais para o lifelong learning

Para garantir uma boa jornada de aprendizagem, é fundamental que as empresas forneçam ferramentas que auxiliem os colaboradores a gerenciarem suas carreiras de maneira autônoma. 

Isso empodera o colaborador a fazer escolhas com base em sua projeção de carreira e não apenas em um plano traçado pela organização. 

Esse protagonismo e a liberdade sobre a própria carreira, em sintonia com a estratégia da empresa, estimulam o lifelong learning, promovendo o desenvolvimento constante e, por sua vez, aumentando a competitividade das empresas no mercado. 

Como promover o lifelong learning na sua organização? 

Já ficou muito claro que estimular o lifelong learning é a melhor forma de impulsionar o desenvolvimento de empresas e profissionais, né? O conceito é mandatório para qualquer empresa que busque proporcionar um ambiente propício para a aprendizagem e o crescimento de seus profissionais.

Algumas práticas para promover uma cultura de lifelong learning nas organizações são:

  • Compreender as técnicas da aprendizagem continuada;
  • Criar um planejamento estratégico;
  • Realizar um diagnóstico educacional;
  • Mapear e traçar os perfis do seu público-alvo;
  • Estabelecer indicadores e metas dos objetivos desejados;
  • Escolher bem os fornecedores de conteúdo e as soluções educacionais
  • Personalizar as capacitações, para gerar o engajamento do público e o aprendizado efetivo;
  • Acompanhar e medir os resultados, por meio de avaliação e mediação;
  • Avaliar os resultados e utilizá-los para retroalimentar todo o processo.

banner verde, com os dizeres conheça as melhores soluções educacionais para a sua empresa

Para disseminar uma cultura de aprendizagem em sua empresa, é muito importante investir em educação corporativa digital de qualidade, ofertando treinamentos que estejam alinhados às necessidades dos profissionais e aos desafios que a empresa precisa vencer.

Deseja incentivar e viabilizar a prática de lifelong learning na sua organização? Fale com um especialista em EdTech e saiba mais!