Lifelong learning é uma tendência para o RH do futuro

Tempo de leitura: 6 minutos

Sobretudo, o futuro das empresas depende de suas estratégias de recursos humanos. Essa é uma área em constante mudança, que precisa acompanhar as tendências de mercado e se adequar conforme as necessidades dos colaboradores se transformam.

Nesse movimento, o Lifelong Learning é uma tendência para o RH do futuro, por ser um conceito que envolve o desenvolvimento contínuo de habilidades e conhecimentos dos profissionais. 

Continue a leitura, para descobrir como o RH pode se preparar para as tendências de aprendizagem contínua no mundo corporativo!

O futuro acontece com investimento no desenvolvimento das pessoas

Antes de mais nada, o conceito de Lifelong Learning é uma tendência para o RH do futuro, já adotada por muitas empresas para promover a competitividade e a inovação. Essa abordagem incentiva os colaboradores a aprenderem e se desenvolverem continuamente.

Ou seja, investir em pessoas é importante para qualquer estratégia organizacional, esse é um dos pilares que sustentam as mudanças no setor. Tal investimento ajuda na atração e retenção de talentos, aumenta a produtividade e melhora a satisfação dos colaboradores. 

Além de motivá-los na construção de uma cultura positiva e a formar líderes eficazes, também auxilia no desenvolvimento de novas habilidades e competências necessárias para a execução de tarefas e atividades importantes na organização. 

Do ponto de vista da empresa, investir em pessoas promove o desenvolvimento e aprimora os processos internos, melhorando a qualidade do serviço prestado e fortalecendo a reputação da empresa no mercado.

A principal vantagem de adotar o Lifelong Learning é a capacidade de manter os profissionais atualizados. Isso significa que eles podem acompanhar as tendências de mercado e desenvolver as habilidades necessárias para ocupar posições mais elevadas em suas profissões. 

Ademais, fomentar a prática do aprendizado contínuo é uma forma de incentivar a motivação e o comprometimento dos colaboradores, já que eles se sentem capazes de aprender algo novo e atualizar suas habilidades.

Como o RH pode se preparar para as tendências de aprendizado contínuo 

Os acontecimentos dos últimos anos afetaram profundamente a maneira como as pessoas se relacionam. Em tempos como esse, onde o acrônimo BANI — Brittle, Anxious, Non-linear, Incomprehensible; em português, frágil, ansioso, não linear e incompreensível — reflete os paradigmas enfrentados pela sociedade atual, o RH precisa se preparar para as mudanças.

Nesse sentido, é importante pensar em estratégias de retenção de talentos, como boas práticas voltadas à saúde mental, modelos de trabalho mais flexíveis e o principal: ter um bom relacionamento com a tecnologia. No que diz respeito ao saldo da pandemia, as empresas podem extrair duas lições: adaptação e flexibilidade. 

A partir dessa perspectiva, profissionais do setor precisam adotar estratégias para garantir a produtividade e o desenvolvimento contínuo dos colaboradores, a fim de suprir as necessidades do mercado em constante e rápida adaptação.

Logo, o RH pode se preparar para as tendências de aprendizado contínuo criando um programa de desenvolvimento para colaboradores, com foco no aperfeiçoamento profissional. Isso inclui treinamentos específicos, universidades corporativas e cursos online para capacitação. 

Por outro lado, o RH também pode fornecer aos colaboradores acesso a materiais educacionais e recursos de aprendizado, como artigos, vídeos, podcasts e webinars. Essa abordagem permitirá que os profissionais se mantenham atualizados com as inovações do setor e desenvolvam habilidades relevantes para a organização.

Mulher branca de cabelos ruivos, vestindo camisa de manga longa azul claro, usa headphones brancos, enquanto sorri para o notebook que está numa mesa de computador, em sua mão direita segura um lápis de escrever, ao fundo uma cadeira a sua direita e uma parede cinza.

5 práticas que vão auxiliar sua organização a se preparar para o aprendizado contínuo:

  1. Forneça ferramentas de aprendizado para colaboradores: os colaboradores devem ter acesso às ferramentas de aprendizado, para continuar a aprender e desenvolver suas habilidades. 
  2. Promova o uso de plataformas de aprendizado: as plataformas de aprendizado são uma ótima maneira de permitir que os colaboradores aprendam continuamente. 
  3. Ofereça incentivos para aprendizado contínuo: os incentivos podem ajudar a motivar os colaboradores a se envolverem com o seu desenvolvimento. 
  4. Estabeleça parcerias educacionais: estabelecer uma parceria com uma instituição educacional pode ajudar os colaboradores a aproveitarem o aprendizado contínuo.
  5. Crie um ambiente de aprendizado aberto: uma cultura de aprendizado aberto é fundamental para o sucesso do aprendizado contínuo. Os colaboradores devem ter acesso a informações, recursos e ferramentas, para poderem discutir ideias, compartilhar experiências e aprender uns com os outros.

Oportunidades no setor: lifelong learning é uma tendência para o RH do futuro

O Lifelong Learning é uma tendência para o RH do futuro, porque é capaz de melhorar a retenção dos colaboradores, uma vez que os profissionais, ao serem incentivados a desenvolver habilidades e conhecimentos, sentem-se mais motivados e comprometidos com a empresa. 

Além disso, o aprendizado contínuo ajuda a criar um ambiente de trabalho positivo, pois os colaboradores se sentem mais capazes de realizar tarefas desafiadoras e de aprender algo novo.

O Lifelong Learning é uma tendência importante para o RH do futuro, por ser uma abordagem que incentiva a motivação, o comprometimento e a inovação.

Portanto, para qualquer empresa que esteja procurando formas de melhorar seus resultados e que deseja se manter competitiva no mercado, o investimento em aprendizado contínuo é uma ótima opção.

Confira algumas tendências para o futuro do setor de recursos humanos em 2023

  • Investimentos para capacitação contínua

Os investimentos em treinamento e desenvolvimento dos colaboradores são cada vez mais comuns e se encontram em um cenário favorável, já que, mais do que nunca, esses profissionais também desejam desenvolver continuamente suas habilidades. 

  • Olhar para talentos 

Essa tendência visa entender melhor a jornada e o desempenho dos colaboradores. Cargos como Chief Human Resources Officer (CHRO), deve, entre suas principais missões, ser capaz de avaliar a oferta e demanda de trabalho, conforme as habilidades e competências necessárias, bem como analisar em quais áreas do negócio os colaboradores irão atuar.

Além de recursos para a atração e retenção desses profissionais, as empresas estão investindo cada vez mais em programas internos de capacitação de talentos.

  • Flexibilidade nos modelos de trabalho 

O setor tem buscado mais flexibilidade nos modelos de trabalho, como o home office, o trabalho híbrido e, até mesmo, modelos mais flexíveis, que permitem que os colaboradores trabalhem de forma remota e de qualquer lugar.  Como o DOT Digital Group, que adotou em sua cultura o #AnywhereOffice, possibilitando que os colaboradores trabalhem, literalmente, de qualquer lugar.

  • Valorização do bem-estar e fortalecimento da cultura organizacional

Com os avanços da área, o setor passou a olhar atentamente para o ambiente institucional das organizações, com um foco maior direcionado ao bem-estar dos colaboradores a fim de manter a harmonia no ambiente de trabalho e promover experiências agradáveis. Assim, é possível notar amplos investimentos em benefícios diferenciados e programas internos voltados para esses objetivos, tendência que deve permanecer e crescer no futuro.

  • Diversidade, inclusão e acessibilidade

O termo ESGenvironmental, social, governance — que, em português, significa governança ambiental social e corporativa, está em voga nas empresas.

Em conjunto com outras ações, isso evidencia que diversidade e inclusão se tornaram, de fato, pautas corporativas. Uma empresa inclusiva promove e adota boas práticas de contratação, desenvolvimento e retenção de todas as diversas pessoas colaboradoras, em igualdade de oportunidades.

  • Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal

Segundo dados da OMS, o Brasil é o país mais ansioso do mundo e 5º país com mais pessoas em quadros de depressão, o que torna o tópico de saúde mental extremamente relevante nas empresas. 

O burnout, por conta do trabalho excessivo, foi reconhecido como doença ocupacional e trouxe grande visibilidade na sociedade. Assim, faz-se necessário que as companhias adotem políticas com seus colaboradores sobre o tema.

A pandemia nos ensinou muitas coisas e umas delas foi a criar um equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. Dessa maneira, os setores de recursos humanos precisaram destacar, entre os seus benefícios, conveniências como licença parental, jornadas flexíveis, maior autonomia, etc.

Por fim, a expectativa é que, em 2023, questões como modelos flexíveis de trabalho, cultura organizacional, comunicação e capacitação contínua estejam entre as tendências. 

Acompanhe o DOT Digital Group e fique por dentro de tudo que acontece no mercado de EdTech!

2022-12-27T18:11:07-03:00