Pandemia acelerou a educação corporativa digital com a migração de capacitações para o formato online. Projeções da consultoria Global Market Insights indicam que mercado global de e-learning crescerá 8% ao ano até 2026.

O mercado global de educação corporativa digital, e-learning,  ultrapassou US$ 200 bilhões em 2019 e deve crescer ao menos 8% entre 2020 e 2026, segundo projeções da consultoria Global Market Insights.

A estimativa, apesar de divulgada durante a pandemia, não leva em conta a adesão em massa a aulas online por todas as redes de ensino e de home office pelas empresas, o que deve expandir ainda mais esse crescimento.

A consultoria global Deloitte, inclusive, sugere a grandes empresas de todo o mundo, no documento intitulado Plano de Recuperação da Crise da Covid-19, a migração de treinamentos e capacitações para o formato digital.

Educação corporativa digital é muito mais do que um treinamento virtual 

A pandemia potencializou o mercado de educação corporativa digital, que já vinha numa crescente em razão das várias novas tecnologias, como computação em nuvem e Inteligência Artificial, juntamente com o aumento do acesso à internet em todo o mundo.

Mas ainda há barreiras relacionadas a dificuldades encontradas por empresas para calcular o custo e o retorno desse investimento.

“Hoje, a educação corporativa online é muito mais do que um treinamento virtual oferecido por uma empresa aos funcionários. Ela está relacionada ao aumento da competitividade de produtos e serviços e da motivação e engajamento”, afirma o fundador e CEO do DOT Digital Group, Luiz Alberto Ferla, empresa de educação digital há 24 anos no mercado.

> Como aprender em 2021: seis tendências em educação digital

> Digitalização da educação corporativa para acelerar pessoas, empresas e organizações 

Ele explica que os custos de um projeto de educação corporativa digital, por exemplo, dependem de fatores como: o número de alunos impactados, a quantidade e tipos de cursos que cada aluno deve assistir (se são cursos específicos que terão de ser produzidos ou genéricos que podem ser adquiridos prontos no mercado), das funcionalidades da plataforma digital que será contratada e do modelo de cobrança, que pode variar de fornecedor para fornecedor.

Como medir os resultados de investimento

Os resultados desse investimento em educação corporativa também podem ser avaliados e medidos, por meio de indicadores relacionados à evolução profissional dos colaboradores e aos resultados em produtividade e faturamento da empresa.

De modo geral, boa parte das organizações adota avaliações de aprendizado para determinar o quanto os colaboradores conseguiram reter conhecimento.

Segundo dados do Fórum Econômico Mundial, em comparação com o ensino presencial, o aprendizado digital gera, pelo menos, 25% mais retenção de conteúdo em 40% menos tempo. Essa maior eficiência nasce da possibilidade de imposição do próprio ritmo nos estudos, dando assim uma maior flexibilidade ao aluno.

A idade também é fator de influência no e-learning. Existe consenso entre especialistas de que crianças demandam ambientes compartilhados de aprendizagem, enquanto jovens adultos se habituam melhor a ferramentas digitais.

Com relação à avaliação de desempenho da empresa, muitos profissionais de RH estabelecem uma média de produtividade antes do treinamento e de todo o processo de educação corporativa digital. Passado um tempo desde o início do processo, avaliam novamente os índices de produção e entrega da empresa.

blog-dot-educacao-corporativa-digital-como-calcular-custos-e-retorno-do-investimento-

Melhora do clima organizacional

A educação corporativa também pode refletir em mudanças comportamentais, aumentando a satisfação do colaborador e contribuindo para a melhora do clima organizacional, que é a percepção do profissional quanto à empresa em que ele trabalha.

“Ao se sentirem valorizadas, essas pessoas desempenham melhor suas funções e têm maior facilidade de se alinhar à cultura organizacional. Por consequência, os índices de turnover caem: colaboradores engajados atuam melhor em equipe e estão mais comprometidos com resultados”, observa Ana Paula Baseggio Lehmkuhl, Gerente de Pessoas & Cultura do DOT Digital Group.