[Opinião] Como a reinvenção digital da indústria passa pela reinvenção do trabalhador

A América do Sul é um exemplo mundial de como ignorar a transformação digital é a pior decisão que se pode tomar. De 2013 a 2017, o PIB da região cresceu 0,2% e o setor industrial amargou contração de 11,4%. Os dados são de relatório publicado pela Accenture em 2018. É claro que incertezas políticas e desequilíbrios macroeconômicos têm contribuído para esse cenário. No entanto, o estudo mostra que novas oportunidades para os países sul-americanos estão condicionadas à reinvenção digital da região e na transformação para a indústria X.0, um modelo que leva inteligência ao setor por meio de inovações tecnológicas.

A boa notícia é que os empresários da América do Sul têm consciência de que é preciso investir em tecnologias digitais. Pesquisa da Accenture com 141 executivos de 22 setores industriais do Brasil, Argentina, Chile e Colômbia mostrou que 97% deles acham relevante a transformação tecnológica de suas empresas. No ano passado, os investimentos no setor superaram US$ 1 trilhão no mundo. Os executivos apostam na indústria X.0 para melhorar os processos e, consequentemente, a tomada de decisão e a produtividade.

O retorno dos investimentos é evidente:

  • Em 2015 as receitas derivadas de investimentos em tecnologia digital eram de 40%;
  • Em 2018 subiram para 48%;
  • A expectativa é de que aumentem para 62% em 2019.

Há desafios e o maior deles é a falta de capacitação dos trabalhadores. Tanto que investir no treinamento de profissionais é prioridade para 56% dos entrevistados pela Accenture. E mais:

  • 43% acreditam que a capacitação aumenta a produtividade;
  • 38% dizem que promove lideranças capazes de prever tendências disruptivas;
  • 30% concordam que há redução do downtime (tempo de inatividade) quando os colaboradores são treinados.

É interessante observar que a solução desse desafio também passa pela reinvenção digital, nesse caso, da área de gestão de pessoas e carreiras. Hoje, existem plataformas tecnológicas de educação digital capazes de capacitar profissionais em grande escala e com a vantagem de conseguir índices elevados de engajamento. No DOT digital group, investimos em tecnologias que promovem a imersão dos profissionais:

  • Simuladores com realidade virtual – permitem a aprendizagem e o treinamento de situações e processos de forma segura e escalável, potencializando o aprendizado.
  • Gamification – técnica que aumenta os índices de atração, engajamento, retenção e aprendizagem dos colaboradores, reduzindo custos e aumentando a produtividade e o retorno do investimento. 
  • Games educacionais – promovem maior engajamento, atenção e aproveitamento, com custos reduzidos e alta escalabilidade.
  • Trilhas de aprendizagem – metodologia interativa de aprendizagem: o aluno constrói o seu próprio caminho e conhecimento.

Com profissionais qualificados e preparados para a incorporação de novas tecnologias nos seus processos de trabalho, os países da América do Sul estarão preparados para inaugurar a indústria X.0. Uma indústria capaz de oferecer aos clientes experiências hiper-personalizadas, condição essencial para se diferenciar em relação aos concorrentes e, acima de tudo, alcançar maior produtividade e rentabilidade no mercado. Bom aprendizado a todos.

 

 

Luiz Alberto Ferla, CEO e fundador do DOT digital group

 

 

 

Este artigo foi publicado na Revista Businnes

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT