Marketing Technology para captação de alunos

No momento de captar novos alunos para os seus cursos, pesquisas revelam que as instituições de ensino ainda priorizam as estratégias offline, elegendo ações deste tipo como primordiais ou únicas neste processo.

O Marketing Technology não atua como concorrente, mas sim como um importante aliado da estratégia de aquisição de novos estudantes. Onde o offline atua no macro, com ações para o grande público, e o online consegue identificar e atacar no micro, com estratégias dirigidas, impactando quem realmente tem interesse.

Para se ter uma ideia, são muito comuns as pesquisas por possibilidades de carreira e cursos de aperfeiçoamento pela internet. Segundo a HUBSPOT, 7 em cada 10 pessoas fazem uma busca online como a primeira interação com marcas e produtos, antes de chegar em um vendedor. 

Captando alunos por meio do Marketing Technology

As estratégias de captação em MarTech reúnem diversas ferramentas tecnológicas, associadas à análise de grandes quantidades de dados e ações de marketing para garantir resultados mais efetivos, com menor tempo e menos investimentos nas campanhas.

Para traçar uma estratégia de comunicação, são analisados o perfil dos alunos e quais meios digitais são mais adequados para impactar esse público. Após esta análise, o profissional de MarTech realiza o seguinte caminho: 

  • Desenvolve a campanha de acordo com a análise do perfil dos alunos e os meios de comunicação que ele utiliza para as suas pesquisas. 
  • Criação de mensagens segmentadas, de acordo com o público-alvo para gerar o interesse em saber mais sobre o curso ou atividade oferecidos. 
  • Após performance da campanha, o profissional de MarTech analisa as métricas de cada ação para obter insights e fazer correções de ações, caso julgar necessário. 

O diferencial de utilizar estratégias de Marketing Technology é poder contar com dados totalmente mensuráveis, além de trazer uma comunicação mais certeira, durante toda a jornada de aquisição de um curso do aluno. 

Estratégias de captação

Atrair: esse é o momento de você impactar o maior número de alunos, de acordo com o perfil da sua instituição e os serviços que ela oferece. As estratégias para a atrair a atenção do público-alvo são anúncios, links patrocinados, estratégias de SEO e marketing de conteúdo, por exemplo.

Retenção de público: reter alunos é tão importante quanto prospectá-los. Se o seu lead não está consumindo o conteúdo proposto é porque ainda não se identificou com ele. Seja na forma de apresentação, na entrega da solução ou até mesmo no atendimento, chegou o momento de realizar alguns ajustes. Ferramentas como o Analytics vão contribuir para você conduzir as ações. 

Conclusão: depois de analisar os resultados que deram certos e errados, chegou o momento de desenvolver metodologias de conteúdo e tecnologias que serão utilizadas para obter o maior aproveitamento de alunos interessados. 

Veja a seguir, um case de sucesso realizado na equipe de MarTech para a captação de alunos no Senar Goiás! 

Captação de alunos | Case SENAR Goiás

A equipe de MarTech, aqui do DOT, tem como rotina traçar estratégias para a captação de alunos. Um dos cases de sucesso, foi a captação de alunos para o SENAR Goiás. 

A instituição busca a promoção da educação profissional, assistência técnica e atividades de promoção social, com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento de uma produção rural mais sustentável, gerando competitividade e avanços sustentáveis na vida no campo.

O desafio do SENAR Goiás era aumentar a escala de capacitações, com intuito de contribuir com a formação e a profissionalização de pessoas e prestadores de serviços do meio rural.

A equipe de MarTech, entrou em ação e desenvolveu a estratégia perfeita para o aumento do número de pessoas capacitadas. Confira o case completo aqui! 

 

Ainda ficou com dúvidas? Fale com a gente!

Saiba mais sobre MarTech, confira cases aqui.

 

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

[Opinião] Como o MarTech ajuda as empresas a venderem

Mais de 60 bilhões de mensagens enviadas pelo WhatsApp, 6,2 bilhões de vídeos assistidos e 5,7 bilhões de pesquisas feitas no Google. Em um ano? Não, em um único dia. Os dados são do portal Internet Live Stats, que acompanha online o tráfego de informações na internet. Esse gigantesco volume de dados dá a dimensão do quanto é imprescindível às empresas usar a tecnologia para encontrar e conversar com os seus clientes no mundo online. E vender, é claro.

Esta integração do marketing com a tecnologia deu origem ao que chamamos de MarTech (Marketing Technology), sem o qual seria impossível filtrar e analisar o vasto oceano de dados online. As ferramentas de MartTech tornam possível definir e monitorar estratégias customizadas de abordagem, vendas e fidelização. Entre elas, a prospecção dos clientes, a escolha dos canais mais adequados de contato com eles, a linguagem para cada público-alvo e a mensuração dos resultados por ação.

O principal diferencial do MarTech em relação às ferramentas tradicionais do marketing é que ele permite fazer quase tudo em tempo real, potencializando o retorno do investimento. Esse fator faz toda a diferença porque ajuda o gestor a tomar decisões de forma mais ágil, criando ações precisas para que a resposta do consumidor também seja rápida. Por último, caso as estratégias não estejam sendo bem-sucedidas, é possível fazer a correção de rumos sem perda de tempo e dinheiro.

Um setor que tem se beneficiado do MarTech é o de instituições de ensino superior. Sem ciência de dados e big data seria praticamente impossível identificar potenciais alunos e impactá-los de forma direta e customizada. O MarTech permite, por exemplo, não só oferecer uma determinada universidade a um candidato, mas o curso mais aderente ao seu perfil com uma mensagem personalizada e, portanto, com potencial altamente efetivo. O resultado é uma ação de microtargeting, com uma sensível redução de investimento de captação de alunos.

Recentemente, uma pesquisa da consultoria Gartner mostrou que as áreas de marketing de empresas dos Estados Unidos e do Reino Unido aplicaram pela primeira vez em 2018 um percentual maior de seus orçamentos em tecnologia (29%) do que em salários (24%). O fato é reflexo de uma corrida para entender os dados sobre a experiência do cliente. A questão é que dados são apenas dados sem os cientistas que extraem inteligência de suas análises. O consenso é de que o sucesso das estratégias de marketing e vendas depende cada vez mais da sinergia entre equipe e tecnologia.

 

 

Luiz Alberto Ferla, CEO e fundador do DOT digital group

 

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

Por que investir em Marketing Technology?

A resposta para a pergunta do título é simples: você deve investir em Marketing Technology porque os seus consumidores são digitais, você é digital.

A internet faz tão parte da nossa rotina que é quase impossível fazer qualquer coisa sem ela. Não é à toa que vemos, cada vez mais pessoas com seus celulares nas mãos enquanto almoçam, pegam um metrô para o trabalho ou até mesmo para encontrar um caminho alternativo e mais rápido para chegar em casa.

No momento de buscar um novo produto ou serviço procuramos referências na internet, seja para pesquisar preços, obter mais informações ou efetuar uma compra, de fato.

Conheça as 5 vantagens de apostar em Marketing Technology são mensuráveis:

1. Quem não é visto, não é lembrado

Agora sua vitrine precisa de endereços novos: google, facebook, instagram, e-mail marketing… Obter uma presença digital relevante é o que vai tornar a sua marca, produto ou serviço reconhecidos. É através desses meios de comunicação que o seu consumidor terá acesso à opiniões, resenhas e informações antes de investir em um determinado produto. Pense nisso!

2. Seja referência

Aposte na interatividade. Nem só de venda vive o marketing digital, invista em conteúdo para engajar e gerar valor para a sua audiência. E por fim, apresente o seu produto ou serviço como solução para os problemas do seu consumidor.

3. Converse com as pessoas certas

Com a ajuda do marketing digital temos a possibilidade de segmentar conteúdos e campanhas com o intuito de responder dúvidas e solucionar problemas de um público em específico, desta forma, os resultados de visibilidade e busca tendem a ser muito melhores.

4. Gaste menos com divulgação e obtenha mais resultado

Parece estranho, mas com o marketing digital é assim mesmo, e funciona. Existe um valor mínimo a ser investido para que a sua campanha dê bons frutos, mas eles são bem inferiores do que desenvolver materiais impressos para uma campanha offline ou inserir um comercial no intervalo do Mais Você, por exemplo.  

5. Analise resultados

Existe vantagem melhor do que saber em tempo real como as ações estão sendo recebidas pelo público? O marketing digital possibilita que você obtenha estatísticas pouco depois de lançadas as campanhas e ainda analisar seus desempenhos, caso não esteja sendo bem-sucedida há chances de promover mudanças até performarem de maneira rentável.   

Para saber mais sobre clique aqui

 

 

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

[MarTech] Estratégias de mídia digital na educação!

Confira case de sucesso na área de MarTech e saiba como a estratégia de mídia digital contribuiu para o alcance de novos alunos do mercado agro.

Você já parou para pensar quantas vezes foi impactado por um anúncio enquanto navegava pela internet? Em média, somos impactados por três mil anúncios diariamente, porém lembramos de apenas 4 ou 5 deles.

Investir em mídia digital é ter à disposição da sua marca um leque de ferramentas para a implementação de ações de marketing com a finalidade de gerar novos negócios ou conteúdo de marca.

Com a chegada da era mobile, a utilização de mídia digital tem crescido ano após ano. Segundo pesquisa realizada pelo IAB, 97% dos usuários fazem ao menos uma pesquisa por dia na internet utilizando os mecanismos de busca.

AS PESSOAS ESTÃO MAIS CONECTADAS DO QUE NUNCA

E esse é um ótimo estímulo para que as empresas compreendam que elas também precisam estar mais conectadas do que nunca.

Uma empresa investe em mídia digital com o objetivo de alcançar uma meta, seja ela conquistar mais acessos no site, tornar a sua marca reconhecida, vender mais ou captar novos clientes. Se o seu negócio possuir maturidade digital, ele pode lucrar muito mais gastando bem menos, é só tratar os dados com carinho que os big numbers aparecem.

Estudo realizado pelo Google e pelo Boston Consulting Group, com mais de três mil brasileiros, mostra o quanto as pessoas são receptivas em relação aos anúncios digitais, principalmente quando esses são de temas do seu interesse.

É NECESSÁRIO MUITO DINHEIRO PARA CONCORRER COM GRANDES MARCAS NA MÍDIA DIGITAL?

A resposta é não!

A mídia digital veio para segmentar o seu público-alvo. O leilão é o critério maior para que você ganhe espaço nos veículos de mídia, mas existem outros fatores que colaboram com o aparecimento do seu anúncio:

5 MOTIVOS PARA VOCÊ INVESTIR EM MÍDIA DIGITAL

1- PREÇO: crie campanhas mesmo  com orçamento reduzido.

2- DIRECIONAMENTO DE PÚBLICO: anúncios direcionados ao público específico com mais precisão.

3- RESULTADOS MENSURÁVEIS: saiba quem clicou no seu anúncio, origem do clique, valor investido em mídia.

4- TESTE A/B: criação de mais de um anúncio com o mesmo objetivo para identificar qual obteve melhor desempenho.

5- AGILIDADE E FLEXIBILIDADE: agilidade por não depender da impressão de materiais gráficos e flexibilidade por possibilitar alterações imediatas sem perda de material ou logística.

Deu pra perceber que investir em mídia digital só traz vantagens.

Prova disso, é o nosso case de sucesso na área de MarTech:

Senar ETEC

Captação de alunos do mercado agro

Desafio: O Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural oferece curso técnico em agronegócio de nível médio na modalidade a distância e com apoio em polos presenciais, mediante parceria com Administrações Regionais. A instituição via como desafio, a captação de alunos para completar o processo seletivo para o primeiro semestre de 2019.

Ações: Para superar este desafio e alcançar a meta, foram criadas as seguintes estratégias de Marketing Digital:

  • Planejamento de mídia para divulgação das peças nos melhores meios de comunicação, segmentando de forma correta o público-alvo que deveria ser impactado com a mensagem e medição de resultados, de acordo com a performance da campanha.
  • Publicações de boletins no portal do Senar, na aba extraclasse, chamando as pessoas para participarem do processo seletivo.
  • Trabalhos de criação de conteúdo e peças gráficas de comunicação multiplataforma, segmentação de linguagem e argumentação de vendas de impacto.
  • Trabalho de aquisição de clientes através de disparo de e-mails marketing e SMS para uma base de contatos escolhida de forma estratégica por um profissional da área.
  • Identificação de novos nichos de públicos com a ajuda da ciência de dados.
  • Trabalho de divulgação através de Assessoria de Imprensa.

Resultado: O Senar alcançou a marca de mais de 11 mil inscritos, sendo que o número de vagas disponíveis era de 2410. Além disso, as estratégias de mídia digital contribuíram para 212.502 acessos ao site, 126.370 visitantes ao site e 716.132 visualizações na página de inscrições.

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

[Na Mídia] DOT digital group tem operação em Portugal

O DOT Digital Group, fornecedor de tecnologia para os segmentos de educação e marketing, aposta na internacionalização como um dos pilares para crescimento em 2019.

A empresa tem uma operação em Portugal, iniciada a partir de uma parceria em 2018, e negocia a entrada no mercado chinês pelo mesmo modelo.

Em Lisboa, a companhia conta com um escritório com equipe comercial. Na China, o objetivo é iniciar a operação com um parceiro em março deste ano.

Para trabalhar o novo mercado, Luiz Alberto Ferla, CEO e fundador do DOT Digital Group, participou, em Xangai, da Exposição Internacional de Importações no mês de novembro.

“Já temos clientes na América Latina, na Inglaterra e em Portugal, onde estruturamos uma filial para atender a Europa”, relata Ferla.

O principal foco da empresa são soluções de tecnologia para o setor de educação.

Hoje, o carro-chefe da empresa é o StudiOn, um LMS (sistema de gestão de aprendizado, da sigla em inglês) oferecido no modelo de software como serviço.

“O sistema é o mais moderno do mercado por ser modular, funcionar totalmente no modelo mobile e ser gamificado. O sistema é multi-idiomas e conta com um e-commerce integrado”, destaca Ferla.

Além de desenvolver plataformas customizadas, a empresa oferece serviços de captação e retenção de alunos; diagnóstico e definição da estratégia de ensino; produção de conteúdo em diferentes formatos, como vídeos, e-books, games, quizzes e infográficos; consultoria na escolha de tecnologia e acompanhamento online do usuário com central de tutoria e monitoria.

“A educação será cada vez mais portátil, personalizada e onipresente. A aprendizagem estará nas mãos dos alunos, que terão o controle sobre o quê, quando, onde e como aprender. A tecnologia possibilita capacitar em larga escala e acompanhar o engajamento e desempenho em tempo real”, destaca o empresário.

O DOT também atua na área de marketing, com foco especialmente em soluções para monitoramento de redes sociais e construção de estratégia de comunicação digital.

Com sede em Florianópolis, o DOT Digital Group atende cerca de 30 clientes, entre eles Honda, Natura, TIVIT, Copel, C&A, Santander, Algar Tech e Sebrae/SC.

A companhia tem unidades em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, somando cerca de 200 colaboradores diretos.

*Conteúdo publicado originalmente em Baguete. Acesso 22/01 às 19h.

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

[Na mídia] Referência em tecnologia para educação, DOT digital group aposta na internacionalização

dot digital group

DOT digital group, com sede em Florianópolis, já capacitou mais de 5 milhões de pessoas e quer levar sua expertise em EdTech para outros países

A EdTech (Education Technology), mercado de soluções digitais para educação, é um dos mais promissores na área tecnológica, com perspectiva de crescimento global de 17% ao ano até 2020, de acordo com relatório da EdTechXGlobal. No Brasil, o DOT digital group é protagonista e referência no setor. A empresa teve origem em 1996 no bem-sucedido ecossistema de inovação de Florianópolis e já capacitou mais de 5 milhões de pessoas com estratégias para a educação corporativa e a educação formal. Com sede na capital catarinense e escritórios em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, o DOT conta atualmente com 300 colaboradores e aposta na internacionalização da marca com abertura de operações em Portugal e na China.

O processo de internacionalização começou com a abertura de um escritório em Portugal. A filial é a porta de entrada para o mercado europeu e foi viabilizada em parceria com o grupo português Vantagem+, que tem mais de 20 anos de atuação no mercado de capacitação corporativa presencial. No momento, o DOT se prepara para entrar no mercado chinês. O presidente e fundador do grupo, Luiz Alberto Ferla, esteve no país no início de novembro para participar da China International Import Expo (CIIE 2018), em Xangai. “Percebemos o quanto nossos produtos são competitivos mundialmente e voltamos ao Brasil já com alguns projetos para o mercado chinês. A China tem 1,4 bilhão de pessoas, entre elas, muitos jovens que buscam capacitação para se aprimorar”, conta o executivo.

Engenheiro e administrador, Ferla começou a apostar em educação digital em 1996 com a criação, em Florianópolis, do Instituto de Estudos Avançados (IEA), origem do DOT. Para ele, romper com o padrão de uma realidade onde poucos detêm o conhecimento é uma das maiores vantagens de aliar a tecnologia à educação. “A tecnologia possibilita capacitar em larga escala e acompanhar o engajamento e desempenho em tempo real”, destaca. O executivo acredita que a educação será cada vez mais portátil, personalizada e onipresente. “A aprendizagem estará nas mãos dos alunos, que terão o controle sobre o quê, quando, onde e como aprender”, afirma.

Um dos principais diferenciais do DOT digital group é oferecer soluções completas, de ponta a ponta. Além de desenvolver plataformas tecnológicas customizadas de acordo com o objetivo do cliente, a empresa disponibiliza serviços de captação e retenção de alunos, diagnóstico e definição da estratégia de ensino mais adequada; produção de conteúdo em diferentes formatos como vídeo, e-books, game, quiz e infográficos; consultoria na escolha das tecnologias necessárias para apoiar o conteúdo; e acompanhamento online do usuário com central de tutoria e monitoria. Para isso, a empresa dispõe de uma equipe de profissionais de diferentes áreas, do cientista de dados a jornalistas. Entre os clientes do DOT estão empresas como Honda, Natura, Tivit, Engie, Copel, C&A, Santander, Algar Tech, Sebrae SC, Senar Nacional e Senar Goiás.

Tecnologia e produtos

Para tornar a experiência de aprendizagem estimulante e eficiente, o DOT investe constantemente em novas tecnologias, estratégias Learning Experience Design e metodologias de ensino. “Nós acreditamos que a estratégia mais adequada, aliada à tecnologia, garante o maior o aprendizado”, afirma Ferla. As soluções utilizam recursos inovadores como simuladores, realidade virtual e realidade aumentada, as grandes tendências para a educação – todas com o objetivo de trazer para o ensino à distância algumas características importantes da educação presencial. “O resultado é um aprendizado ainda mais estimulante do que o presencial”, observa o empresário. O DOT também utiliza gamificação – estratégias de games fora do ambiente de jogos que aumentam os índices de atração, engajamento, retenção e aprendizagem dos colaboradores, reduzindo custos e aumentando a produtividade e os resultados. Games, quiz, chats, fóruns e tira-dúvidas online também são estratégias educacionais utilizados pelo DOT.

Em outubro, a empresa lançou duas novas plataformas educacionais. O StudiOn é uma plataforma de aprendizagem modular, ideal para empresas que queiram implantar um projeto de formação continuada. Cada colaborador aprende em seu ritmo e o conteúdo pode ser adaptado em formatos variados, como vídeos e games. O Pronto Mobile segue a tendência do microlearning, com conteúdos curtos acessados via celular ou tablet. O modelo traz mais flexibilidade, reforçando o engajamento e o alcance dos resultados.

MarTech: inteligência e precisão em ações de marketing

O DOT digital group também atua na área de marketing tecnológico. Com uso de ciência de dados e Big Data, o grupo desenvolve ações de inteligência para projetos de comunicação digital, marketing direto, monitoramento de marcas e redes sociais, aquisição de clientes, portais de inteligência de mercado; análise de concorrência, estudos de público-alvo, etc. Há ferramentas utilizadas em parceria com a área de Edtech, por exemplo, análises estratégicas para empresas e instituições de ensino que têm metas desafiadoras na aquisição de clientes e alunos.

 

Matéria publicada em:

Infor Channel

Revista Business

Acontecendo Aqui

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

MarTech: por que os profissionais de Marketing precisam estar preparados

Por Luiz Alberto Ferla*

A tecnologia tem provocado o que muitos chamam de revolução digital. Na prática, ela tem transformado os modelos tradicionais de negócios e a forma das empresas e pessoas se relacionarem. Para a área de marketing, há um consenso que essa transformação de cenário passa, necessariamente, pelo uso de tecnologias que tornem as campanhas cada vez mais assertivas e eficientes para conquistar e fidelizar clientes.

No Brasil, mais de 90% dos profissionais de marketing concordam (total ou parcialmente) que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas a conquistar os consumidores do século 21, de acordo com uma recente pesquisa sobre MarTech (Marketing Technology), publicada pelo DOT digital group.

O mesmo estudo mostra, no entanto, que apenas 25% dos profissionais de marketing conhecem o conceito de MarTech – o qual prevê o uso de tecnologia associada à análise de grandes volumes de dados para criar campanhas mais adequadas e customizadas ao público-alvo. Estes dados mostram que 75% dos marqueteiros brasileiros precisam preparar-se para essa tendência, se quiserem permanecer no mercado em médio e longo prazos.

O grande diferencial de MarTech, em relação às ferramentas tradicionais de marketing está na possibilidade de criar campanhas baseadas em dados fiéis, micro segmentados e dirigidos, gerando assim resultados mais assertivos e com investimento menor. A análise de grandes volumes de dados permite ainda medir, mensurar e realizar ajustes constantes, mesmo quando a campanha já está no ar. Ou seja, a medição da assertividade ocorre em tempo real, por meio de ferramentas de performance que possibilitam antecipar ou até mesmo mudar a estratégia em curso, dependendo dos efeitos alcançados.

Em países como Europa e Estados Unidos, o conceito de MarTech já está bastante difundido e as expectativas são de que, ao longo de 2017, um número crescente de empresas no Brasil deve aderir ao modelo. O que passa pela necessidade de profissionais cada vez mais capacitados.

Na prática, os profissionais de Marketing que conhecerem a fundo as ferramentas de MarTech tendem a ganhar uma vantagem competitiva de mercado e serem cada vez mais valorizados pelas organizações.

E você, está preparado para incorporar MarTech ao seu cotidiano?

*Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group, empresa brasileira especializada na oferta de soluções digitais para EdTech e MarTech.

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

[Videocase] Universidade UniSociesc aumenta em 25% as inscrições no vestibular com solução de DOT

Com o desafio de aumentar a captação de alunos em um mercado recessivo, o DOT traçou uma estratégia completa de MarTech para a UniSociesc, do Grupo Anima.

Confira case e o depoimento de Flávio Janones, diretor de Marketing da instituição.

 

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

Opinião | MarTech: uma nova oportunidade para o setor de TI

Por Luiz Alberto Ferla*

O mercado vive hoje um período de transformação digital, no qual o uso intensivo da tecnologia tem revolucionado diversos setores da economia e a forma de atuação das organizações. Um dos muitos exemplos concretos dessa mudança está no surgimento do conceito de MarTech, que prevê o uso combinado de ferramentas de marketing online, inteligência e Big Data para criação de campanhas personalizadas e, o melhor, com resultados mais assertivos e menores investimentos.

O MarTech promete revolucionar a abordagem tradicional de marketing, ao permitir a criação de campanhas segmentadas e adaptadas ao perfil de cada usuário. Na prática, por meio do uso intensivo de tecnologia para análise de grandes volumes de dados, essa abordagem possibilita a criação de ações baseadas em informações confiáveis, micro segmentadas e dirigidas aos diferentes públicos-alvo. Ao mesmo tempo em que permite medir e realizar ajustes constantes nas campanhas em tempo real.

De acordo com uma recente pesquisa sobre o mercado MarTech, realizada pelo DOT digital group, 96% dos profissionais de marketing que atuam no Brasil acreditam – total ou parcialmente – que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas aos consumidores.

O sucesso de ações de marketing está diretamente relacionado à capacidade de compreender os desejos e necessidades reais dos usuários e clientes e entender como atingi-los de forma mais eficiente por meio dos diversos canais, serviços e produtos. Isso gera uma crescente necessidade de que as empresas revejam suas estratégias de marketing e façam uso cada vez mais intensivo de tecnologia.

Tecnologia: indispensável nas ações de marketing

O que se percebe no Brasil é que ainda estamos vivendo uma fase inicial da adoção de MarTech, com espaço para que a tecnologia assuma, em curto e médio prazos, um papel cada vez mais relevante nas estratégias de marketing. Ainda segundo o estudo do DOT digital group, apenas 25% dos profissionais brasileiros conhecem o conceito de MarTech.

Em países como Estados Unidos alguns da Europa, esse conceito já está bastante difundido e as expectativas são de que, ao longo de 2017, um número crescente de organizações no Brasil deva aderir ao modelo. Por aqui, os conceitos de Big Data e comunicação digital já são amplamente conhecidos, mas ainda temos muito a nos aprofundar com relação ao uso prático de toda a inteligência que os dados nos oferecem para uma comunicação mais assertiva. É preciso que os profissionais, tanto da área de marketing quanto de tecnologia, vejam as oportunidades que o MarTech tem para oferecer e preparem-se para extrair todo o potencial desse novo cenário.

 

img_LAF_center

Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group

Este artigo foi publicado pelo portal TI Inside e Executivos Financeiros.

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT

MarTech: por que os profissionais de marketing precisam estar preparados para essa tendência

Por Luiz Alberto Ferla

A tecnologia tem provocado o que muitos chamam de revolução digital. Na prática, ela tem transformado os modelos tradicionais de negócios e a forma das empresas e pessoas se relacionarem. Para a área de marketing, há um consenso que essa transformação de cenário passa, necessariamente, pelo uso de tecnologias que tornem as campanhas cada vez mais assertivas e eficientes para conquistar e fidelizar clientes.

No Brasil, mais de 90% dos profissionais de marketing concordam (total ou parcialmente) que o uso da tecnologia representa uma estratégia fundamental para criar campanhas voltadas a conquistar os consumidores do século 21, de acordo com uma recente pesquisa sobre MarTech (Marketing Technology), publicada pelo DOT digital group.

O mesmo estudo mostra, no entanto, que apenas 25% dos profissionais de marketing conhecem o conceito de MarTech – o qual prevê o uso de tecnologia associada à análise de grandes volumes de dados para criar campanhas mais adequadas e customizadas ao público-alvo. Estes dados mostram que 75% dos marqueteiros brasileiros precisam preparar-se para essa tendência, se quiserem permanecer no mercado em médio e longo prazos.

Dados fiéis, micro segmentados e dirigidos

O grande diferencial de MarTech, em relação às ferramentas tradicionais de marketing está na possibilidade de criar campanhas baseadas em dados fiéis, micro segmentados e dirigidos, gerando assim resultados mais assertivos e com investimento menor. A análise de grandes volumes de dados permite ainda medir, mensurar e realizar ajustes constantes, mesmo quando a campanha já está no ar. Ou seja, a medição da assertividade ocorre em tempo real, por meio de ferramentas de performance que possibilitam antecipar ou até mesmo mudar a estratégia em curso, dependendo dos efeitos alcançados.

Em países como Europa e Estados Unidos, o conceito de MarTech já está bastante difundido e as expectativas são de que, ao longo de 2017, um número crescente de empresas no Brasil deve aderir ao modelo. O que passa pela necessidade de profissionais cada vez mais capacitados.

Na prática, os profissionais de Marketing que conhecerem a fundo as ferramentas de MarTech tendem a ganhar uma vantagem competitiva de mercado e serem cada vez mais valorizados pelas organizações. E você, está preparado para incorporar MarTech ao seu cotidiano?

Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group

Este artigo foi publicado pelo portal PropMark.

 

 

 

 

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT