[Opinião] Indústria 4.0: Edtech como ferramenta primordial

Não é novidade para ninguém, a transformação digital e as tecnologias disruptivas estão transformando os negócios e as empresas precisam se preparar para a indústria 4.0, a quarta revolução industrial. A característica que marca essa nova era é a automatização total das máquinas e dispositivos, ou seja, a chegada decisiva dos robôs e as tecnologias envolvidas, com destaque para inteligência artificial, internet das coisas e data analytics.

As ferramentas de educação digital são determinantes nesse processo de adaptação para o futuro. Recentemente, estive na Conference on Industry 4.0 and Services 4.0 em Singapura, na Ásia, organizada com o propósito de discutir este futuro e de questionar: as empresas e as pessoas estão prontas para o mercado digital global?

O DOT digital group foi convidado pela Human Capital Singapore para uma rodada de negócios entre empresas de edtech e gestores interessados em promover a transformação digital de suas organizações a partir do uso de plataformas de educação. Foi um momento de troca de conhecimento sobre demandas de mercado e soluções de edtech, um debate imprescindível para o momento que vivemos.

A educação digital é um instrumento facilitador da aprendizagem num cenário de transição para a indústria 4.0. A edtech se insere como facilitadora de acesso a conteúdos, tecnologias e trocas que contribuem para a mudança de um modelo mental, acompanhando as características do mundo digital: ágil, dinâmico, ubíquo, acessível, intuitivo e em constante transformação.

 

A Indústria 4.0 vai levantar muitas perguntas e oferecer respostas.

 

 

Luiz Alberto Ferla, é CEO e fundador do DOT digital group

Receba Conteúdos!

Preencha os campos abaixo, logo entraremos em contato!

[Na mídia] DOT digital group comemora participação na CIIE e avanços no projeto de internacionalização

Brasília – Ampliar a internacionalização da empresa e expandir a rede de negócios no exterior é uma das principais metas do DOT digital group e foi com esse objetivo que o fundador e CEO da empresa, Luiz Alberto Ferla, participou de 5 a 10 de novembro, em Xangai, da Exposição Internacional de Importações (CIIE em inglês), com um stopover em Dubai, onde manteve uma série de contatos visando apresentar a empresa e seus produtos aos empresários e representantes governamentais dos Emirados Árabes Unidos.

Em sua avaliação sobre a participação na maior exposição internacional de importações já realizada em todo o mundo, Luiz Alberto Ferla disse que a missão permitiu complementar e expandir a estratégia de internacionalização da empresa na Ásia e na China em especial: “mantivemos muitos contatos em nosso estande com dirigentes de empresas dos mais diversos países e eles manifestaram muito interesse em nossa plataforma para experiência de aprendizado StudiOn e Pronto, a nossa plataforma mobile baseada em microlearning, ambas lançadas recentemente no mercado. Além da presença no estande, participamos de várias reuniões agendadas pelo Bank of China com empresas chinesas e mantivemos dezenas de novos contatos om clientes potenciais. Em resumo, valeu muito a pena participar”.

Segundo o CEO do DOT digital group, “trouxemos para o Brasil muitos contatos importantes e parcerias que podem ser iniciadas em breve. Entendemos que temos muito a agregar ao mercado chinês. As soluções e tecnologias que oferecemos têm muita sinergia com as demandas desse país, que segue em crescimento acelerado. Considero nossa participação na CIIE engrandecedora. Desde a chegada no aeroporto através das novas tecnologias de reconhecimento facial e digital, a coleta de dados e o controle e organização de milhões de  pessoas, tudo impressiona. A magnitude da CIIE 2018 foi impressionante pela sua organização, disciplina no controle de segurança e logística, facilidade de acesso, apesar dos milhares de participantes diariamente. Uma das lições que aprendemos foi que o mundo está mudando numa velocidade muito grande e a China é hoje o maior mercado em um mundo em transformação. Tudo isso nos faz pensar sobre como podemos melhorar o Brasil e o mundo por meio da educação”.

Luiz Alberto Ferla descreve com entusiasmo os avanços alcançados pelo DOT digital group visando a internacionalização da empresa: “nós já temos clientes na Amércia Latina, na Inglaterra e em Portugal, onde estruturamos uma filial para atender a Europa. Com a participação na CIIE, tivemos a oportunidade de fazer um stopover em Dubai, na semana anterior à feira e com essa parada pudemos iniciar negociações nos Emirados Árabes Unidos (EAU), que será o nosso hub para vários países do Oriente Médio e da África”.

O empresario esteve também em Hong Kong, Shenzhen (China) e em Singapura e segundo ele “tivemos sucesso na realização de muitos bons contatos que certamente trarão bons resultados em curto e médio prazos, reforçando nossa estratégia de conquista de novos mercados e contribuindo para aumentar a internacionalização da empresa. Já temos uma equipe na China, que vai atuar em conjunto com nossos escritórios no Brasil, cuidando para que esses excelentes contatos evoluam em parcerias e permitam a realização de negócios”.

Os países da África também fazem parte dos planos de internacionalização do DOT digital group: “ na CIIE tivemos a oportunidade de participar de uma reunião com o Ministro do Comércio Exterior de Angola e mantivemos outros contatos com representantes da União dos Estados Africanos (UA), que faz parte da estratégia de internacionalização do DOT. O mesmo acontece em relação à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), com sede em Lisboa. Hoje temos uma empresa do grupo estabelecida em Portugal e direcionamos nossa expansão para os países de línguas francesa e inglesa, porque nossa Plataforma de Educação é multi-idiomas. Também voltamos nossa expansão em espanhol para a América Latina e em breve teremos no idioma árabe”.

 

Matéria publicada originalmente em Comex do Brasil.

Receba Conteúdos!

Preencha os campos abaixo, logo entraremos em contato!

Conheça o Studion, uma plataforma para experiência de aprendizagem

Treinamento e desenvolvimento de colaboradores é assunto frequente nas empresas. Cada vez mais, as companhias compreendem que investir no desenvolvimento de habilidades do time é fundamental para se adaptar às necessidades do mercado e, até mesmo, antecipar tendências.

Com o avanço da tecnologia, a maneira de ensinar e aprender mudou. O ensino online não para de crescer no Brasil e a expectativa é que esses números aumentem ainda mais. De acordo com o Censo da Educação Superior de 2016, do Inep, enquanto o ensino presencial teve queda anual de 0,08% nas matrículas, o ensino a distância teve expansão de 7,2%.

Nesse cenário, usar LMS é muito positivo.  O DOT desenvolveu uma plataforma para experiência de aprendizagem, o Studion, que vai além de um LMS tradicional.

Continue a leitura e conheça os benefícios em aplicá-la na sua estratégia de educação corporativa.

O que é uma plataforma LMS?

Learning Management System significa Sistema de Gerenciamento de Aprendizagem. De maneira simplificada, podemos dizer que trata-se de uma plataforma que engloba todas as etapas no momento de adquirir novos conhecimentos, desde o acesso dos alunos, passando pelo controle e acompanhamento do processo de aprendizado, até geração de relatórios e emissão de certificados.

As empresas já estão ligadas nessa tendência:  segundo dados da pesquisa da Capterra, 93% dos CEOs vão manter ou aumentar o orçamento da área de treinamento e e-learning.

Para saber mais, continue a leitura e confira 4 benefícios em utilizar o Studion, uma plataforma para experiência de aprendizagem.

1-     Redução de custos

Uma formação EdTech garante mais agilidade no processo de aprendizagem, reduzindo o tempo de dedicação e aumentando a produtividade. As estratégias utilizadas são muitas: jogos, vídeos, simuladores, trilhas de aprendizagem ou podcasts. Tudo isso permite um aprendizado mais dinâmico.

As estratégias devem ser desenvolvidas individualmente em cada empresa, de modo que cumpra o objetivo traçado. Em conjunto com uma equipe especializada de consultores educacionais, é possível definir a maneira mais eficaz de oportunizar a construção de conhecimento.

2-     Flexibilidade

O avanço da internet e consumo de conteúdos via mobile é nítido. No Brasil, pesquisa da FGV demonstra que o país superou a marca de um smartphone por habitante: hoje são 220 milhões de celulares em uso por aqui.

A educação precisa seguir essa tendência. A internet permite que o aluno acompanhe os conteúdos de onde estiver, possibilitando que a dedicação aos estudos aconteça no melhor dia e horário para ele. Uma plataforma LMS deve ser mobile friendly e garantir uma perfeita experiência para o usuário.

3-     Aprendizagem mais rápida

Com estratégias de microlearning, que nada mais é do que ofertar o conteúdo em pílulas de aprendizagem, o processo de absorção de informações torna-se mais flexível e efetivo.

Com vídeos mais curtos e que sintetizam as informações mais importantes, o engajamento dos alunos aumenta e os colaboradores podem estudar sempre que tiverem tempo ou sempre que precisarem.

4-     Alinhado às tendências atuais

Microlearning, gamification, realidade aumentada, realidade virtual… esses são apenas exemplos de ferramentas que podem ser customizadas em uma plataforma LMS para otimizar o processo de aprendizagem do time de colaboradores.

Pesquisas apontam que os treinamentos tradicionais não alcançam o ROI esperado e não são tão eficientes para ajudar na retenção do conhecimento por parte dos alunos.

Preparar sua equipe para atuar nesse cenário transforma sua empresa em referência de negócios e faz com que ela seja, agora, uma empresa do futuro.

Como o DOT pode ajudar

O Studion é uma plataforma para experiência de aprendizagem, um moderno e avançado LMS. Armazenado em nuvem, com estrutura de alta capacidade e suporte a arquivos em qualquer formato, a plataforma foi totalmente desenvolvida com foco na pessoa, tanto quem vai administrar o curso quanto para o aluno.

O Studion oferece um ambiente de aprendizagem customizado de acordo com a sua estratégia e pode ter a cara da sua empresa. Fale com nossos especialistas!

 

Receba Conteúdos!

Preencha os campos abaixo, logo entraremos em contato!

Opinião | Educação a Distância: o setor que cresce na contramão da economia brasileira

Luiz Alberto Ferla 

O cenário de crise econômica tem obrigado muitas empresas brasileiras a reduzir e potencializar investimentos. Por outro lado, esse mesmo ambiente recessivo exige que as organizações sejam mais produtivas, o que passa, entre outros fatores, pela capacitação da mão de obra e uma otimização do tempo dos profissionais. Demandas que, somadas, têm gerado um aumento na busca por soluções de Educação a Distância no mercado corporativo, as quais reduzem os custos associados com viagens, deslocamentos e infraestrutura, ao mesmo tempo em que trazem mais comodidade e flexibilidade para os profissionais.

Estima-se que, em média, o modelo de Educação a Distância tenha custos de 50% a 70% menores do que os cursos presenciais. Não à toa, o crescimento médio anual do setor no país tem sido de 15% e a Abed (Associação Brasileira de Educação a Distância) projeta que, em até dez anos, essa modalidade represente 50% de todas as ofertas de cursos para formação e especialização no país, seguindo uma realidade que tende a ser vivenciada em outros países desenvolvidos.

Um importante vetor para a aceleração desse mercado está no avanço das tecnologias utilizadas para gerar uma melhor experiência e interação nos cursos online, como o uso da gamificação, com técnicas de jogos para garantir mais engajamento dos alunos, e a adoção de simuladores, que utilizam a realidade virtual para garantir a experiência mais próxima da vivência presencial.

Percebemos que o bom uso da tecnologia na Educação a Distância tem aumentado a captação de alunos, reduzido a evasão dos cursos online e incrementado o índice de satisfação e de qualidade das iniciativas. Graças à análise de dados e comportamentos, por exemplo, é possível identificar quando um aluno demonstra desinteresse por determinado conteúdo e, de forma proativa, oferecer um desafio adequado a seu perfil para motivá-lo a permanecer no curso.

Do lado dos profissionais, a aplicação de soluções tecnológicas na Educação a Distância também traz benefícios importantes. Isso porque, reduz os custos e o tempo gastos para formação e capacitação de qualidade, fundamentais para o crescimento profissional e a permanência no mercado de trabalho.

Na prática, se antes o formato de cursos online estava associado à formação e especialização barata, hoje o setor já venceu essa primeira barreira e desponta como uma alternativa de excelente qualidade para a educação tradicional. E, em breve, tende a transformar-se no modelo preferencial para alunos, empresas e instituições de ensino.

img_LAF_center

 

Luiz Alberto Ferla é CEO do DOT digital group, empresa brasileira especializada na oferta de soluções para Educação a Distância e MarTech.

 

Este artigo fo publicado pelo Jornal Estado de MinasEcommerce NewsSegsRevista Fator BrasilMaxPress.

 

 

 

Receba Conteúdos!

Preencha os campos abaixo, logo entraremos em contato!

Dia Mundial da Internet

Por Luiz Alberto Ferla

17 de maio, Dia Mundial da Sociedade da Informação. Mais conhecido como o Dia Mundial da Internet, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2005.

A data foi criada após uma Assembleia Geral das Nações Unidas, na Tunísia, visando comemorar os avanços e as ações para a inclusão digital em todo o mundo.

A Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação (CMSI) premia anualmente projetos que diminuem a exclusão digital e interligam, a partir da internet, países desenvolvidos e subdesenvolvidos. O Brasil foi homenageado em 2015 com o Prêmio Mundial de Telecomunicações e Sociedade da Informação pelos esforços em favor da inclusão digital.

Mas o que podemos melhorar?

Parece que temos muito por fazer. A ONU revela em estudos que no Brasil os conectados somam apenas 60% da população. Em países como Noruega, Dinamarca e Islândia, o número de pessoas conectadas ultrapassa o índice de 90%. Apesar da avaliação positiva, os elevados custos de equipamentos e dos serviços ainda são alguns dos principais fatores pelos quais brasileiros não adquirem acesso à internet, pontos determinantes para que o número de usuários não cresça.

Estamos melhorando, nos desenvolvendo e, principalmente, debatendo o assunto. O marco Civil da Internet, a discussão sobre o limite do pacote de dados, a segurança na rede, entre outros tantos temas, contribuem para a inclusão digital.

O Brasil vive um momento político intenso e a rede mundial contribui para o debate. Um levantamento feito pelo Valor Econômico, realizado entre os dias 4 e 12 de maio, apontou que a TV Senado na internet, canal disponível no Youtube, registrou 740.661 horas de visualização nos dias 11 e 12, ante 65.317 horas no dia 4. O que tem tornado a internet um meio importante, também, para a democracia participativa.

Se em 1996 pensar em negócios digitais era algo inalcançável, hoje percebemos o quão importante tornou-se a internet. O DOT digital group há 20 anos aposta na transformação digital. Seja para capacitar, entender o mercado ou para se comunicar, a nossa motivação caminha junto do novo diálogo global, focado em conectar as pessoas.

Luiz Alberto Ferla, CEO do DOT digital group, mentor da Endeavor e membro do conselho do WTC Business

Receba Conteúdos!

Preencha os campos abaixo, logo entraremos em contato!