Índice de maturidade digital 2019

O Brasil tem a quarta maior população on-line do mundo: sete entre dez brasileiros estão conectados e passam, em média, nove horas por dia na web. No entanto, o País ainda é digitalmente imaturo. O que isso significa?

Isso quer dizer que as habilidades digitais de nossos talentos ainda são muito limitadas e, portanto, pouco impactam em fatores como a produtividade, a empregabilidade e a geração de renda para esses profissionais.

A população brasileira acessa amplamente as ferramentas digitais, no entanto, essas pessoas praticamente não utilizam essas ferramentas para criar. Isso ocorre porque a maioria de nós, brasileiros, ainda não temos as competências necessárias para otimizar a utilização de ferramentas digitais. A conclusão é do Índice de Maturidade Digital, elaborado pelo Google e pela consultoria McKinsey.

A pesquisa ainda aponta o seguinte: “Percebemos que as desigualdades no domínio de competências digitais espelham as desigualdades de gênero, raça e idade ainda muito grandes no país”.

Para o estudo, foram entrevistados cerca de 2500 brasileiros, com idades entre 15 e 60 anos. Os dados da pesquisa foram coletados em 28 cidades das cinco regiões do país.

As respostas mostraram que as pessoas que têm um menor domínio de habilidades digitais são o público mais velho e, também, a população de baixa renda. Além disso, na lista ainda entram as mulheres jovens, o que seria uma justificativa para a estatística de que somente 1 entre 10 candidatos que se apresentam para trabalhar na área de TI é mulher.

O estudo aponta que a falta de maturidade digital aos brasileiros é reflexo direto no desenvolvimento econômico e social do País. Estima-se que um trabalhador poderia acrescentar até R$ 380,00 ( 40% do salário mínimo) na sua renda se adquirisse habilidades digitais, como trabalhar com sistemas de dados e machine learning.

Veja matéria completa publicada pelo CIO aqui.

Este tema foi notícia também no TI Nordeste