Por que é preciso fazer um diagnóstico antes de comprar soluções de educação corporativa?

Especialista explica em webinar que a escolha da estratégia mais adequada para engajar colaboradores em treinamentos requer conhecimento do público.

“A adesão é baixa, muitos colaboradores nem iniciam o curso, outros começam e abandonam. No fim, se gasta duas vezes, primeiro pela ferramenta e depois pelo tempo que o colaborador perdeu de trabalho fazendo um treinamento sem conclusão.” Se você se identificou com essa reclamação, saiba que não está sozinho. Ela já foi ouvida muitas vezes por Simone Carminatti, consultora educacional do DOT digital group, referência em EdTech. Para a especialista, a ineficiência de projetos de educação corporativa é resultado de falta de planejamento e, principalmente, da aplicação de um diagnóstico educacional. 

“Diagnosticar é conhecer o cenário da empresa em profundidade a partir de pesquisas com o público-alvo, que podem ser enriquecidas com a análise de documentos já existentes e com o entendimento das percepções de gestores, influenciadores e outras pessoas que não o público-alvo”, afirma Simone. No próximo dia 5, às 11 horas, ela vai explicar em um webinar na página do DOT no Youtube como o Diagnóstico Educacional e o Estudo de Personas podem contribuir com o sucesso da estratégia educacional das empresas.

Segundo Simone, ambas entregam inteligência de dados para a empresa, resultando em investimentos mais eficientes. “Tanto o Diagnóstico Educacional quanto o Estudo de Personas empoderam a empresa ao dar subsídios para que ela tome decisões assertivas, vendo claramente em que e por que investir”, avalia a especialista. “Mas o maior mérito é fazer com que a empresa não perca tempo e dinheiro investindo em estratégias de capacitação ineficientes”, acrescenta. 

Reviralvolta  – Simone conta o caso de um cliente que procurou o DOT decidido a comprar uma determinada solução de educação à distância. Após  a aplicação do Diagnóstico Educacional, se concluiu que o mais adequado era a empresa contratar outra solução que, inclusive, era consideravelmente mais barata do que a empresa estava determinada a desenvolver quando chegou. “Quando o cliente começa pelo diagnóstico, nós dizemos que está no ‘caminho feliz’. Esse cliente que veio decidido a comprar uma solução baseado apenas em percepções superficiais poderia ter feito uma contratação ineficiente para a sua real necessidade. E isso é muito comum, porque dificilmente uma empresa chega nos pedindo um diagnóstico. Nesse caso, nós conseguimos acertar o rumo”, afirma Simone.Um Diagnóstico Educacional precisa responder a uma série de perguntas que precisam ser feitas sobre o público-alvo: qual é a sua forma de aprender, quais são suas preferências por formatos (vídeo, livros, jogos), qual o tempo que você tem disponível para aprender? Essas são apenas algumas questões que estão na pauta de um diagnóstico. As pesquisas vão mostrar muitas vezes que é preciso contratar diferentes soluções de acordo com o público para o qual elas se destinam. O diagnóstico também pode ser complementado com um estudo mais aprofundado de personas, utilizando, inclusive, Data Science.  “Diagnóstico Educacional é investimento: a empresa ganha uma fotografia em tempo real para fazer seu projeto de educação corporativa entregar os melhores resultados possíveis”.

 

Este artigo foi publicado também no portal Infor Channel.

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT