Como a educação online pode ajudar a retomada da economia brasileira

economia

Por Luiz Alberto Ferla,  fundador e CEO do DOT digital group

A economia global e o mundo digital nunca estiveram tão diretamente relacionados como nesta pandemia. A luta contra o coronavírus depende basicamente de informação e colaboração, com a inovação surgindo até de onde não se espera. De um dia para o outro, milhares de empresas se adaptaram ao trabalho remoto para evitar a paralisação total de suas atividades e as pessoas se viram conectados como nunca antes.

Sem poder sair de casa, desde a compra no supermercado até a consulta médica, tudo passou a ser feito com ajuda de ferramentas tecnológicas. Muitas dessas mudanças vieram para ficar e a economia digital será cada vez mais protagonista do novo mundo que se desenha. É por acreditar que iniciativas digitais terão um impacto altamente positivo na volta dos empregos e na geração de renda e receita para os países, que o DOT digital group, em parceria com a multinacional brasileira de tecnologia TIVIT, lançou uma ação que irá capacitar gratuitamente 2 mil profissionais de TI por meio do ensino a distância.

Se, antes da pandemia o mercado brasileiro já necessitava  de pessoal qualificado neste setor, com a economia digital ganhando protagonismo, estes profissionais serão ainda mais requisitados. Queremos auxiliar nesta retomada usando de nossa expertise em educação digital. Com 24 anos de atuação, o DOT digital group já capacitou mais de 10 milhões de pessoas com soluções desenvolvidas para os mercados corporativo e acadêmico. 

Nesta parceria com a TIVIT, os interessados terão acesso a cursos de capacitação da multinacional por meio de duas plataformas tecnológicas de aprendizagem desenvolvidas pelo DOT digital group: o Studion (plataforma LMS – sigla de Learning Management System, que significa Sistema de Gerenciamento de Aprendizagem) e o Courselog (plataforma baseada no conceito de LXP, sigla para Learning Experience Platform, com dinâmica semelhante à da Netflix).

O DOT também colocará  à disposição dos alunos  monitores que darão suporte remoto, e fornecerá  conteúdos, vindos de curadoria especializada, sobre produtividade e motivação durante o trabalho home office e sobre o combate e prevenção ao coronavírus.

No Brasil, o setor de tecnologia já é responsável por 7% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com o mais recente relatório da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom). Mas há um enorme descompasso entre a demanda e a oferta de profissionais de TI.

Segundo o mesmo relatório, o país precisará contratar 70 mil novos profissionais de tecnologia da informação por ano até 2024. No entanto, apenas 46 mil pessoas se formam nessa área a cada 12 meses. Com a ação de capacitação gratuita que estamos ofertando, queremos ajudar a reduzir esse gargalo.

São profissionais que terão um papel crucial na retomada da economia, que virá a partir do segundo semestre de 2020. Um estudo da consultoria global Bain & Company, realizado recentemente, mostra que seis setores ganharam um impulso imediato com a pandemia da Covid-19 e devem manter-se em alta no longo prazo.

Quatro deles são grandes absorvedores de profissionais de TI: ensino a distância, entretenimento online, o de ferramentas para trabalho remoto e a telemedicina. São mercados que viram a demanda explodir na crise e, ao que parece,  essa curva não vai parar de crescer tão cedo. Logo, a contratação de pessoal especializado será imprescindível. 

Após a pandemia da Covid-19, a Inteligência Artificial, por exemplo, deixará sua marca em outros setores, além do de saúde. Isso é uma verdade especialmente para a manufatura e a logística.

As empresas precisarão investir mais em segurança cibernética para evitar ataques em seus sistemas, por exemplo, em um nova economia em que o trabalho remoto será uma realidade. Haverá uma corrida pela digitalização de operações, da esfera pública à privada.

Desde o início da crise provocada por esta pandemia, o DOT digital group está atento a estes movimentos do mercado e trabalha para amenizar impactos negativos. Um mapeamento realizado pelo departamento de Inteligência da empresa, no mês passado, já havia identificado, baseado na experiência da Europa e da China, como a disseminação do vírus impactou as  diferentes áreas.

Os setores ligados ao combate do coronavírus, incluindo tecnologias para educação e entretenimento online e home office, saúde, logística e delivery, foram os menos afetados, mesmo com o mundo chegando a ter um terço de sua população confinada, seguindo as orientações de isolamento social.

 Por meio das ferramentas de educação digital, o DOT digital group permitiu que seus clientes seguissem capacitando colaboradores, mesmo sem a possibilidade de saírem de casa.  No mundo inteiro, universidades e empresas trocaram aulas e eventos presenciais pelo ensino a distância, webinars, conferences calls e outras práticas digitais.

Quando olhamos para o setor produtivo, a educação digital se mostra a melhor aliada para manter a equipe engajada e se capacitando para a retomada da economia.

Isso só foi possível porque nossa empresa conta com um time engajado e produtivo, que aderiu 100% ao home office antes mesmo das recomendações das autoridades locais, com toda a infraestrutura e orientações relacionadas à saúde e bem-estar necessárias para o atual momento. 

Com mais esta ação, em parceria com a TIVIT, queremos dar um passo além e usar toda nossa expertise para auxiliar o país a retomar suas atividades, em segurança e em direção a uma recuperação econômica que gere empregos de qualidade e possa preparar o setor produtivo para os desafios que virão com a nova economia.

As novas tecnologias são uma excelente ferramenta para prevenir e evitar os contágios e organizar nossas vidas e a atividade econômica.

 

Fale com nossos especialistas!

Preencha os campos abaixo, logo entraremos em contato!