Por que é tão importante investir em treinamento para reter talentos?

Banner_conteúdo_blogDot_10Tendencias
A busca e a retenção de talentos são os maiores desafios dos líderes e dos negócios. Essa preocupação foi constada em mais uma pesquisa CEO Challenge que, na edição de 2014, ouviu mais de mil líderes em todo o mundo apontando os seus principais desafios estratégicos.

De acordo com a pesquisa, os três principais desafios dos líderes são: capital humano, relacionamento com clientes e inovação. Já para os gestores de empresas da América Latina, os principais desafios são a excelência operacional, capital humano e relacionamento com clientes. A pesquisa apontou também que entre as iniciativas que os líderes deverão tomar, muitas delas têm a ver com pessoas.

Capital humano

Os líderes entendem que sem pessoas engajadas e produtivas, não há como manter um negócio, não importa qual é a corporação ou quanto ela fatura ao ano. Qualquer uma está correndo o risco de perder mercado por não criar programas de engajamento eficientes ou não preparar adequadamente sua equipe.

Mas como mantê-las

A área de RH possui um papel decisivo na busca de talentos e de relacionamento com o mercado, mas o setor convive também com a atual situação econômica brasileira, que resultou em cortes em capacitação e treinamento.  A CEO Challenge aponta que estes investimentos são vitais e que terão que voltar com urgência. Isso porque, com relação às pessoas, os gestores apontaram como um dos mais importantes itens, justamente, prover treinamento e oportunidades de desenvolvimento para os colaboradores.

Confira agora as 10 tendências para o mercado de treinamento até 2020 segundo o eBook da Clarity Solutions:

1.       Rapid Learning

Presente no mercado de aprendizagem digital, essa metodologia vem ganhando adesão considerável, não somente no segmento corporativo como no educacional e terceiro setor, pois combina pessoas, processos e tecnologias para a produção rápida de e-learning. O seu objetivo é reduzir o tempo e o custo com cursos sob medida, possibilitando à organização o apoio consultivo de especialistas e profissionais da casa. O serviço pode ser terceirizado ou interno, mas é importante que profissionais de design instrucional estejam envolvidos.

2.       Aprendizado informal vai superar o formal

Segundo o eBook sobre as tendências para o mercado de treinamento, o aprendizado informal sempre existiu, mas com a consolidação da internet, isso ficou ainda mais forte, pessoas querem aprender e têm acesso à informações e ferramentas. Ainda vemos um grande foco das organizações no aprendizado formal – modelo tradicional de capacitação em sala de aula com a facilitação de um especialista ou instrutor. Mas na prática as pessoas investem muito mais tempo na Internet ou em redes sociais com foco em auto aprendizado informal, mesmo sem perceber o que estão fazendo.

Por isso as redes sociais corporativas e os repositórios de conhecimento são ferramentas importantes para promover o conhecimento e a inteligência colaborativa.

3.       Mobile Learning cresce, mas precisa de investimentos

A aprendizagem móvel, o mobile learning, é a aprendizagem através de dispositivos móveis – smartphones, tablets, notebooks etc. Sim, tudo está convergindo para a mobilidade e portabilidade. Sejam aparelhos de TV, computadores, livros e, também, o conhecimento. Esta modalidade permite a rápida atualização de conteúdos, se comparado aos métodos mais tradicionais de ensino, o que dá maior qualificação aos profissionais que as instituições formam.

Essa tendência aponta um enorme espaço para o investimento em dispositivos móveis. No Brasil, a aquisição de dispositivos inteligentes só cresce, mas para o aprendizado detalhes como público-alvo, tamanho de tela, tipo de tecnologia, entre outros, devem ser considerados.

4.       O fim do padrão SCORM

O SCORM (Sharable Content Object Reference Model) é um conjunto unificado de padrões e especificações para conteúdo, tecnologias e serviços para e-learning. Na medida em que vemos a crescente difusão de formatos e meios de aprendizado torna-se natural que a flexibilidade e a capacidade de integrar conhecimento em formatos distintos são necessidades reais para quem promove o aprendizado por meio de tecnologias.

5.       Social Learning

O social learning é exatamente o que parece: aprender pelos outros e com os outros. Muitas ferramentas digitais estão disponíveis e sendo utilizadas: Twitter, Facebook, LinkedIn, WhatsApp, Slideshare, YouTube, dentre outras. Obter e compartilhar conhecimentos, informações em rede, enfim, estimular o aprendizado social, é estimular a capacitação por meio de ferramentas integradas à rotina das pessoas.

6.       Treinamento presencial em constante mudança

Nos próximos anos a sala de aula certamente não deixará de existir mas terá que se transformar. No mundo corporativo o papel do instrutor será diferente, eles passam a ser gestores de comunidades virtuais.

7.       Vídeos cada vez mais usados

Conteúdos visuais e dinâmicos são comprovadamente mais atrativos para nós. Através de vídeos é possível passar um conteúdo conciso e de fácil assimilação. Tudo precisa ser dinâmico e rápido. O vídeo possibilita que grandes lotes de informação sejam transmitidos em pouco tempo. Se produzidos dentro de uma estratégia educacional adequada ao público-alvo, a facilidade de execução e de compartilhamento de conteúdo contribuem para o sucesso.

8.       Apresentações em PowerPoint menores, porém melhores

O eBook destaca também uso do PowerPoint para os próximos anos. Já consolidado no uso de treinamentos, novas plataformas vão aparecer, mas o fato é que a utilização para coletar, formatar e apresentar informações e conhecimento precisa ser cada vez mais concisa, com apresentações objetivas, rápidas e atrativas em termos de visual e dinamismo para captar e manter a atenção da audiência. Uma tendência que vem da publicidade, o storytelling – contar histórias – é uma técnica possível e muito eficiente para a criação de conteúdo.

9.       Gamification

E essa tendência sim, vai dominar o mundo. É a estratégia dos jogos, fora do contexto de games. Abordagem que busca a interação entre pessoas e conteúdos de forma lúdica, por meio de ações pré-estabelecidas e objetivos claros tem como base o oferecimento de incentivos ou recompensas provocando maior engajamento do público. A técnica consiste em desafiar e premiar. A aplicação de Gamification é algo que certamente crescerá muito nos próximos anos dentro de iniciativas voltadas para o aprendizado e o desenvolvimento de pessoas.

Para o empresário, além de poder entender o pensamento e a lógica dos colaboradores em relação ao seu trabalho, a técnica permite medir o retorno de investimento (ROI) com mais assertividade que em ações mais tradicionais de treinamento. Saiba mais.

10.   Será o fim do LMS?

E a última tendência para o mercado de treinamento apontada pode gerar polêmica: a perspectiva de que o tradicional LMS (Learning Management System) se transforme em algo obsoleto ou sem grande utilidade nos próximos anos. Antes o sistema era quase que obrigatório para as organizações. Entretanto, o que se vê na prática é que um baixo percentual das organizações realmente consegue transformar o seu LMS em uma verdadeira ferramenta de gestão.

O crescimento da adoção de estratégias baseadas no aprendizado informal e no aprendizado colaborativo por meio de redes tem contribuído para o desuso do LMS tradicional. Além disso, as pessoas hoje procuram simplicidade, sejam elas usuárias ou administradoras de plataformas. O nosso tempo é cada vez mais valioso e por isso plataformas complicadas, pouco amigáveis e de difícil implementação tendem a perder espaço rapidamente.

Leia o eBook completo aqui.

Com O Globo e CEO Challenge

 

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT