Ponha mais ênfase na informação primária

A implementação de um processo de Inteligência Competitiva (IC) inicia-se com a coleta de informações. Na área de coleta é imperativa a aquisição de informações que sejam tão confiáveis quanto possível, isto é, o mais perto possível da fonte natural.

As fontes primárias de informação são, freqüentemente, muito negligenciadas no processo de coleta. A informação primária é obtida a partir de entrevistas com os concorrentes, clientes, fornecedores, de fontes da indústria e dos empregados dentro da empresa.

Durante os últimos anos tem se tornado evidente que muitos grupos de planejamento estratégico ainda desenvolvem seus planos estratégicos para o futuro, baseados somente eminformação secundária, suposições e “adivinhativas” (mistura de adivinhação e estimativas). Até mesmo os que se consideram verdadeiros grupos de IC, freqüentemente, só chegam até onde os bancos de dados públicos e a Internet os levam. É imperativo verificar e atualizar investigações de bancos de dados com pesquisa primária.

O profissional de IC tem que falar com as pessoas na indústria, com os concorrentes, clientes, serviços após venda, com aqueles dentro de suas redes internas, com fornecedores e com analistas da indústria. Embora alguns vejam a pesquisa primária como uma informação “soft”, é a perspectiva, não a precisão, que mais importa. De fato, a informação “soft” é, freqüentemente, a predecessora do fato real. Noventa por cento do valor de inteligência normalmente vêm de informação primária.

Por Luiz Alberto Ferla

Link Original

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT