As Barreiras do Desenvolvimento – Parte I

O governo da presidente Dilma tem feito um esforço mais significativo que o anterior no sentido de promover um desenvolvimento mais sustentável para a economia brasileira. Este esforço pode ser comprovado pelo seu envolvimento pessoal, primeiro na batalha pela queda das taxas dos juros bancários e na flexibilização do crédito e, mais recentemente, na queda dos preços dos veículos automotores.

O problema não está somente no esforço, que tem que ser reconhecido, mas nas medidas que estão sendo tomadas. Até agora elas só atingem -ainda de raspão- os problemas conjunturais que o Brasil e o mundo enfrentam.

São medidas paliativas, que não alcançam os problemas estruturais, estes, sim, responsáveis pelas verdadeiras barreiras ao desenvolvimento econômico e social sustentável do País. É necessário resolver esses problemas, que enfraquecem as nossas capacidades competitivas e historicamente não têm sido enfrentados pelo governo federal.

O mais grave de todos é a nossa deficiente educação fundamental e básica. Temos algumas boas escolas públicas em todos os estados brasileiros, mas são exceções – fruto do trabalho de alguns professores abnegados que, apesar de todas as adversidades, conseguem implementar uma gestão educacional de qualidade.

A grande maioria, infelizmente, é de péssima qualidade. As crianças brasileiras estão perdendo tempo na escola pública, e seguramente não terão base educacional para enfrentar estudos mais avançados de nível superior e,

sobretudo, a vida profissional futura que exige, cada vez mais, trabalhadores com capacidades de tratamento simbólico, que são adquiridas nos primeiros anos da escola.

Nos últimos anos alguns esforços foram desenvolvidos pelo Ministério da Educação para melhorar a escola pública brasileira, porém muito aquém daquilo que efetivamente é necessário.

Neri Dos Santos é doutor em Engenharia pelo Conservatoire National des Arts et Métiers de Paris, professor e consultor técnico – Knowtec

Fonte Original

Receba Conteúdos!

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos produzidos pelo DOT